Enxaqueca

O que é enxaqueca?

A enxaqueca é um tipo específico de dor de cabeça (cafaléia) que apresenta intensidade e frequência variáveis, podendo muitas vezes se tornar incapacitante. Aproximadamente 75% das pessoas com enxaqueca são mulheres, com pico de ocorrência entre 30-40 anos. Após os 40 anos existe tendência a diminuição da severidade e frequência das crises, exceto nas mulheres que estão no período peri-menopausa. Ainda, existe forte predileção genética, com 70% dos pacientes tendo um parente de primeiro grau com história de enxaqueca.

Quais os sintomas da enxaqueca?

Existem vários tipos de enxaqueca, cada um com seus sintomas e sinais específicos. Entretanto, a dor típica se caracteriza por ser pulsátil, com início geralmente unilateral, piora gradual, em um período de 1-2 horas, até se tornar difusa na cabeça, com duração total de 4-72 horas. Náuseas (80%) e vômitos (50%) podem acompanhar a dor, juntamente com inapetência ou intolerância alimentar. Hipersensibilidade à luz (fotofobia) ou à sons (fonofobia) também estão comumente presentes. Entretanto, a presença ou ausência de alguma dessas características não exclui ou confirma o diagnóstico.

Como é feito o diagnóstico da enxaqueca?

O diagnóstico da enxaqueca é clínico, baseado na história e exame físico do paciente. Entretanto, qualquer do de cabeça de início recente deve ser investigada para exclusão de quaisquer anormalidades que possam estar causando os sintomas, neste caso a Tomografia Computadorizada e a Ressonância Magnética podem ser utilizadas.

Como é tratada a enxaqueca?

O tratamento é baseado em evitar os fatores desencadeantes e no uso de medicamentos específicos para esta condição.

Várias condições já foram identificadas como provocadores da enxaqueca: alterações hormonais (menstruação, ovulação e gravidez); estresse; alteração no sono (excesso ou falta); medicamentos; alterações climáticas; falta de atividade física; jejum; vinho tinto; cafeína; adoçantes; frutas cítricas; comidas contendo tiramina (queijos envelhecidos); carnes com nitritos (embutidos). A redução ou cessação destes fatores provocantes podem determinar alívio na frequência e intensidade das crises.

Dr. Cristian Ferrareze Nunes

Neurocirurgia

* Este texto é meramente informativo e não substitui a consulta com um médico.